Espaço Naturológico | Terapêutico | Preventivo

Arquivo para novembro, 2010

Cromoterapia no dia-a-dia

Por Daiana Strada

 

Anteriormente vimos como a Cromoterapia funciona (http://www.youtube.com/watch?v=KBeTMV7amtU&feature=channel) e a diferença entre Cromoterapia e Cromopuntura, veja o post , Medicina Esogética e a Cromopuntura. Hoje vamos ver de forma mais prática como a terapia das cores pode nos auxiliar no nosso dia-a-dia.

As cores podem ser utilizadas em diversas áreas, com resultados espantosos. Apenas recentemente seu poder começa a ser reconhecido por médicos, psiquiatras, o mundo da moda, marketing, etc.

Na Cromoterapia utilizamos as luzes do espectro solar (vermelho, laranja, amarelo, verde, azul, anil e violeta) através de lâmpadas coloridas, cores dos alimentos, mentalizações, roupas, objetos, ambientes, água solarizada e ainda contato com a natureza. Também podem ser utilizados cristais, porém o seu uso deve ser mais cauteloso, pois além das propriedades da cor, cada cristal tem seu uso terapêutico especifico. (O Feng Shui, também utiliza as cores para a harmonização dos ambientes, porém de forma mais complexa. Para saber mais consulte fontes específicas ou um profissional qualificado.)

Pagnamenta (2003) explica que as cores de forma consciente ou não, têm influencia sobre nossa vida. Quando escolhemos uma roupa de uma determinada cor não é fruto de mero acaso, é exatamente aquela cor que queremos naquele momento, que sentimos ser adequada. Cada cor provoca estímulos variados no nosso sistema nervoso, afetando nossas emoções e até nosso humor.

Se queremos ter mais calma, escolheremos o azul, mas se nos sentimos muito apáticos, intuitivamente, escolheremos cores quentes.

Não há cor melhor ou pior, mais nobre ou menos nobre, o que pode haver é a cor errada para determinado momento. Saber os benefícios de cada cor ajuda na escolha, mas ninguém melhor que nós mesmos para saber qual a força, energia ou elemento, está sendo necessário para nós naquele local, naquele momento.

Então vamos conhecer um pouco de cada cor de acordo com Gerber (2000):

A cor vermelha estimula o fígado e o sistema sensorial e promove a liberação de adrenalina. Aumenta a produção de hemácias auxiliando no tratamento de anemias. Está associado ao coração, pulmões e músculos. Não deve ser usado por pessoas que sofrem de asma, hipertensão arterial ou epilepsia. È símbolo da vida, da força e da vitalidade. Alimentos sugeridos: tomate, framboesa, cereja vermelha, pimentão vermelho, maça vermelha. Cristais: rubi e granada.

A cor laranja é usada para o tratamento de cálculos biliares e renais, cistos de ovários, miomas uterinos e doenças da próstata. Tem efeito antiespasmódico. Acredita-se que esta cor acelera o a regeneração do tecido pulmonar e é muito associada a desequilíbrios hormonais em conjunto com o azul. Representa a alegria e é indicada para casos de depressão e pessimismo. Estimula a comunicação. Esta cor acelera a pulsação, mas não eleva a pressão sanguínea. Alimentos: cenouras, laranjas, abóboras, manga, damascos, tangerinas e pêssegos. Cristais: cornalina e jaspe laranja.

A cor amarela estimula o sistema neuromuscular e regenera nervos danificados do sistema nervoso sensorial e do sistema nervoso motor, por isso é indicado para tratamento de paralisias. Estimulante do sistema linfático e do trato intestinal.  É símbolo do intelecto. É útil nos tratamentos de pele, como eczemas, e de artrites e diabetes, por estimular o pâncreas e para indigestões causadas por problemas de estômago. Alimentos amarelos: manteiga, queijos amarelos, gemas de ovos, pimentão amarelo, milho, melão, grapefruit. Cristais: âmbar e topázio amarelo.

O verde é equilibrador do corpo e da mente. Estimula a glândula pituitária e é um reconstrutor dos tecidos e músculos. Útil no tratamento de infecções e de doenças cardíacas. É associado ao desenvolvimento espiritual e é a cor da cura. Alimentos verdes: espinafre, alface, repolho, maça verde, ervilha, lentilhas, kiwi e hortaliças verdes e frutas dessa cor. Cristais: esmeralda e malaquita.

A cor azul, assim como a turquesa é usado para tratar queimaduras e aliviar dores. É antiinflamatório e ajuda a baixar a febre. É calmante do sistema nervoso auxiliando a minimizar a tensão, o medo e a taquicardia, bem como a insônia. Acredita-se ser benéfico para o tratamento de diarréias, inflamação das mamas e da próstata, dores de garganta e hipertireoidismo. Símbolo de confiança. Alimentos azuis: uvas, como as ameixas, mirtilos, peixe. Cristais: safira e lápis-lazúli.

 
O anil ou índigo é considerado estimulante das glândulas paratireóides, mas deprime as tireóides. É sedativo, analgésico e aumenta a produção de glóbulos brancos. Associado a intuição. Reduz hemorragias e o ritmo respiratório e ajuda no tratamento de insônia Alimentos e cristais índigo: são os mesmos descritos em alimentos azuis e alimentos violeta.

A cor violeta é estimulante do sistema imunológico e pode reduzir os batimentos cardíacos e a função pancreática. Como as outras cores frias (azul e índigo) é calmante do sistema nervoso e aumenta a produção de glóbulos brancos. É associada à espiritualidade e ao auto respeito, sendo ótimo para ser usada durante a meditação. Alimentos violeta: berinjelas, brócolis-vermelhos, beterraba, uva moscatel, amoras pretas. Cristais: ametista.

Mesmo sabendo um pouco de como utilizar as cores é sempre importante prestar atenção em como você está se sentindo para escolher a cor. Um bom exercício é imaginar a cor e perceber como se sente. Se traz sensações agradáveis é sinal de que sua vibração está de acordo com aquela cor, então, independente das indicações, siga a sua intuição.

Receita de água solarizada: Para fazer água solarizada é muito fácil. Envolva um copo de cristal ou de vidro com papel celofane da cor que necessita. Encha com água potável e deixe exposto no sol durante todo o dia. Recolha o copo, deixe esfriar, sem colocar na geladeira e está pronta para beber.

 

REFERÊNCIAS:

GERBER, R. Um guia prático de medicina vibracional. SP: Cultrix. 2000.

PAGANAMENTA, Dr. M. N. Cromoterapia para crianças: o caminho da cura. SP: Madras. 2003.

 

Daiana Strada é naturóloga. Para conhecê-la um pouco mais, acesse Profissionais.

 

(Crédito da imagem: cromopuntura.zip.net)


O que é Prata Coloidal?

Por Débora Pasquati

 

DEFINIÇÃO DE PRATA COLOIDAL

A prata coloidal é o mais poderoso antibiótico natural conhecido pelo homem, com a capacidade comprovada de matar mais de 650 microorganismos patogênicos em cerca de 6 minutos. Quando administrada na forma coloidal, a prata não é tóxica, independentemente de qual seja sua aplicação.

Esse produto é o resultado de um processo eletromagnético que puxa partículas microscópicas de um pedaço maior de prata imerso em água. O termo colóide define que a substância, no caso, a prata, se apresenta na forma de partículas ultrafinas, formadas por alguns átomos do material original, os quais não se dissolvem e permanecem dispersas em suspensão num meio contínuo.

No estado coloidal, a prata penetra e viaja mais facilmente por dentro do corpo humano agindo como um inibidor à medida que incapacita a atuação de uma enzima utilizada no metabolismo de microorganismos como bactérias, leveduras, fungos e vírus.

HISTÓRICO E PESQUISAS SOBRE A PRATA COLOIDAL

Em 1910, um dos pioneiros da química, o Dr.Henry Crooks, escreveu: “Certos metais, quando no estado coloidal, têm uma ação altamente germicida, e são inócuos ao homem… podem ser aplicados e com melhores resultados, em forma mais concentrada, na tuberculose bronquial, contra os Staphylococcus, e vários Streptococcus bem como outros organismos patogênicos que são destruídos em três ou quatro minutos; de fato, em experiências de laboratório, não existe micróbio que não tenha sido morto pelos colóides, em, no máximo, seis minutos. E a concentração do colóide não supera cinco partes por milhão…”.

Em 1919, Alfred Searle, fundador do conglomerado farmacêutico que leva seu nome, escreveu o livro “O Uso dos Colóides na Saúde e na Doença” onde diz: “A aplicação da prata coloidal em seres humanos, em grande número de casos, tem apresentado resultados positivos e surpreendentes. Para uso interno, oral ou hipodérmico, tem a vantagem de ser fatal aos parasitas de modo muito rápido, sem quaisquer ações tóxicas para a pessoa.”

A prata coloidal foi amplamente usada até o ano de 1938 quando o FDA (Food and Drug Administration) começou a liberar o uso de antibióticos sintéticos. Com isso, seu uso quase desapareceu, com exceção das unidades de tratamento intensivo em hospitais de queimados. Além desses, a prata também continuou sendo usada pela NASA em missões “Shuttle” e por linhas aéreas internacionais, as quais utilizam filtros de prata para evitar doenças geradas pela água.

Muitos anos depois, por volta do ano de 1970, quando começou a surgir as primeiras evidências de que os antibióticos sintéticos estavam perdendo a sua eficácia, a prata coloidal voltou a ter notoriedade no cenário mundial.

Esse retorno do uso da prata foi incentivado pelo Dr. Carl Moyer, presidente do Departamento de Cirurgia da Universidade de Washington. Ele e o seu bioquímico principal, o Dr. Margraf, juntamente com outros cirurgiões estavam à procura de um anti-séptico forte o bastante, contudo seguro, para ser usado em grandes áreas do corpo humano.

Suas pesquisas concluíram que “nenhum microorganismo causador de doenças – bactérias, vírus, fungos e leveduras – podem sobreviver mais que alguns minutos na presença, mesmo que de traços, de prata coloidal. Um antibiótico sintético mata, talvez, meia dúzia de organismos patogênicos diferentes, mas a prata coloidal mata cerca de seiscentos e cinqüenta, e o que é mais importante, não permite que se desenvolvam linhagens resistentes à prata, como acontece com os demais antibióticos”.

Outro cientista que defendeu o uso da prata foi o Dr. Becker que realizou experiências que também comprovaram que a prata coloidal age no espectro total dos microorganismos, mesmo naqueles resistentes a outros antibióticos, sem qualquer efeito colateral ou reação adversa para a pessoa que a consumiu, além de constatar que ela promove a regeneração dos tecidos afetados.

ALGUNS DOS MUITOS USOS PARA A PRATA COLOIDAL

Uso Pessoal

• Abrevia drasticamente a duração de resfriados, infecções respiratórias, viroses e infecções por Staphylococcus e Streptococcus;

• Combate fungos nas unhas das mãos, dos pés e nas orelhas;

• Pode substituir o uso da loção após barba;

• Acaba com a halitose, eliminando as bactérias no fundo da garganta e na parte posterior da língua;

• Esteriliza com segurança escovas de dente e cabelo, dentaduras, etc.;

• Usada em pequenas feridas, cicatriza-as rapidamente, sem deixar marcas;

• Excelente para combater coceiras de pele, infecções nos olhos e nos ouvidos;

• Algumas gotas de prata coloidal em bandagens e band-aids reduzem o tempo de cicatrização.

Uso Doméstico

• Borrifar prata coloidal nas esponjas de cozinha elimina Streptococcus, E. coli, V. cholerae e Salmonelas que podem envenenar alimentos e originar infecções gastrointestinais e geniturinárias;

• Pulverizar sobre o lixo, previne odores da putrefação;

• Borrife na geladeira e nos recipientes onde se guarda comida;

• Borrife sobre os alimentos como os queijos e a manteiga para evitar que se estraguem ou se tornem rançosos;

• Substitui o cloro das piscinas;

• Borrife sobre frutas e vegetais antes de guardá-los ou consumi-los;

• Borrife prata coloidal quando estiver engarrafando, enlatando ou preservando qualquer coisa;

• Borrife nos pêlos dos animais domésticos após o banho;

• Borrife nas folhagens das plantas para eliminar fungos e doenças das plantas, evitando o uso de pesticidas;

• Use, rotineiramente antes de guardar roupas sazonais, evitando o cheiro de mofo;

• Preserva os tapetes, as cortinas e os papeis de parede;

• Borrife nos travesseiros, nas cadeiras, nos sofás, nos colchões, nas pias de banheiros e nos vasos sanitários, ou em qualquer outro lugar da casa para eliminar e evitar odores persistentes;

• Borrife nos filtros do ar condicionado, após limpa-los.

Literalmente existem centenas de outros usos para esse produto “que é inodoro, incolor, totalmente benéfico, poderoso germicida, bactericida, fungicida, desinfetante, não tóxico e agente de preservação da saúde”. O uso da prata coloidal só pode ser limitado pela eventual falta de imaginação e criatividade das pessoas que de alguma forma estão afetadas por microorganismos

Abaixo segue uma lista parcial de algumas das doenças que tiveram tratamento bem sucedido com o uso da Prata Coloidal:

Acne Furunculoses Piorréia
Amidalite Gastrites Pleurisia
Apendicite Gonorréia Pneumonia
Artrite Gripe Prurido anal
Blefarite Hemorróidas Psoríase
Câncer Herpes Queimaduras
Câncer de pele Impetigo Queimaduras solares
Cândida albicans Infecções bacterianas Queratite
Chagas Infecções da bexiga Reumatismo
Cistites Infecções auditivas Renite
Colite Infecções por fungos Seborréia
Conjuntivite Infecções por leveduras Septicemia
Coqueluche Infecções estafilocócicas Sífilis
Dermatite Infecções estreptocócicas Síndrome da fadiga crônica
Desordens da próstata Lepra Tétano
Desordens intestinais Leucemia Tifo
Diabetes Lúpus Tinha rosácea
Diarréia Linfagite Toxemia
Difteria Malária Tuberculose pulmonar
Disenteria Meningite Úlcera péptica
Doença de Meniere Micose Úlceras
Eczema Neurastenia Verrugas
Escarlatina Oftalmite Vírus Epstein Barr
Fissuras interdigitais no pé Pé de atleta Vírus da pólio

 

Todos esses usos e tratamentos aqui citados podem ser encontrados nos seguintes sites da internet, entre outros:

www.mattron.com.br

www.mega-health.com

www.elixa.com

www.silverfacts.com

www.csprosystems.com

 

Débora Pasquati é naturóloga. Para conhecê-la um pouco mais, acesse Profissionais.

 

(Crédito da imagem: mattron.com.br)


Quiropraxia: Indicações e contra-indicações

Por Ozemar Costa

 

Para quem nos visita pela primeira vez, veja os posts: O que é quiropraxia? e Histórico da quiropraxia.

 

O tratamento com Quiropraxia pode ser aplicado para quaisquer alterações ditas “funcionais” que afetam o sistema neuro-músculo-esquélético, sendo indicado para qualquer faixa etária, até mesmo as gestantes. Os principais acometimentos tratados pela Quiropraxia são:

• Dores na coluna vertebral;

• Dores da cabeça;

• Hérnia de disco;

• Dor ciática;

• Dores no pescoço;

• Dores e tensão muscular;

• Problemas nas articulações do ombro, cotovelo, punho, joelho, tornozelo;

• Desvios de postura (lordose, cifose e escoliose);

• Restrições às movimentações;

• DORT / LER;

• Entre outros.

 

A dor de cabeça pode ser provocada por subluxações na coluna cervical, que causam bloqueios nos nervos que saem por entre as vértebras, interferindo nos impulsos nervosos e causando dor na nuca, posteriormente irradiada para a cabeça. Esse tipo de dor pode ser tratada pela Quiropraxia, a qual se dedica a tratar a raiz do problema, eliminando a dor e sem usar qualquer tipo de medicamento, uma vez que estes apenas acabam com a dor temporariamente, sem trabalhar a causa e ainda podendo provocar problemas no estômago, no fígado, entre outros órgãos.

Como todo método terapêutico, os tratamentos realizados por quiropraxistas têm contra-indicações precisas, mas quando realizado por profissionais qualificados, os riscos são extremamente reduzidos uma vez que eles realizam testes neurológicos e ortopédicos para saber se é possível realizar a manipulação.

PESQUISAS CIENTÍFICAS QUE FAVORECEM A QUIROPRAXIA

Existem centenas de pesquisas que relatam o tratamento de Quiropraxia como uma das formas mais seguras para acometimentos articulares, especialmente da coluna vertebral.

Lombalgia: Um estudo publicado no British Medical Journal, concluiu que “para pacientes com dor na coluna lombar, para os quais não haja contra-indicação quanto à manipulação articular, a Quiropraxia praticamente garante benefícios compensadores e de longa duração, em comparação aos tratamentos hospitalares ambulatoriais oferecidos a pacientes”.

Cervicalgia: Médicos e Quiropraxistas da Corporação RAND e de várias outras instituições acadêmicas, realizaram uma revisão de literatura sobre os tratamentos para dor cervical. Os autores concluíram que a manipulação articular é mais eficaz de que a mobilização ou tratamento fisioterápico de alguns casos de dor cervical subaguda ou crônica e perceberam que “todos os três tratamentos são provavelmente superiores ao tratamento médico”.

Dor de Cabeça: Boline e Cols conduziram um estudo, no ano de 1995, comparando a manipulação articular da coluna com a medicação para dor (amitriptilina) no tratamento de cefaléia tensional. Os autores concluíram que os analgésicos tem eficácia de curta duração e apresentam efeitos colaterais, enquanto “quatro semanas após a conclusão da intervenção, o grupo que sofreu manipulação da coluna demonstrou redução de 32% na intensidade da dor de cabeça, 30% no uso do medicamento simples, e 16% de melhora funcional da saúde, como um todo. O grupo que recebeu a terapia por amitriptilina não demonstrou melhora alguma, tendo apresentado, inclusive, uma piora sutil”.

 

Satisfação com Tratamento Quiroprático

Um estudo de 1998 relatou que a Quiropraxia é o tratamento não médico mais freqüentemente usado nos EUA e proporciona alta satisfação aos seus usuários: “Praticamente todos os pacientes tratados por um quiropraxista declaram-se satisfeito com o seu tratamento; três quartos (73%) declaram-se ‘muito satisfeito’ e 23% declaram-se ‘razoavelmente satisfeito’“.

 

Ozemar Costa é quiropraxista. Para conhecê-lo um pouco mais, acesse profissionais.

 

(Crédito da imagem: wiki2buy.com.br)

 


Florais de Bach no dia-a-dia

Por Márcia Watanabe Hitaka

 

“Cada individuo tem uma vibração original e o floral ajuda a voltar à sua vibração ideal por meio do toque de sua essência, ajudando-o a ultrapassar suas limitações, fazendo este Ser o criador de sua realidade, ser o Senhor do seu caminho. Isso porque a experiência espiritual é única e pessoal, todos somos filhos da Luz e podemos chegar à Essência pela luz dos florais de Bach (Monari, 2002)”.

 

Para quem nos visita pela primeira, veja os posts: Os remédios florais do dr.Bach e Florais de Bach: Rescue Remedy.

 

O Dr.Edward Bach dividiu os florais em sete grupos:

1- Para os que sentem medo: Mimulus, Rock Rose, Cherry Plum, Aspen e Red Chestnut.

2- Para os que sofrem de insegurança: Cerato, Scleranthus, Gentian, Gorse, Hornbeam e Wild Oat.

3- Para falta de interesse no presente: Clematis, Honeysuckle, Wild Rose, Olive, White Chestnut, Mustard e Chestnut Bud.

4- Para solidão: Water Violet, Impatiens e Heather.

5- Para os que sentem sensibilidade a influências e opiniões: Agrimony, Centaury, Walnut e Holly.

6- Para o desespero: Larch, Pine, Elm, Sweet Chestnut, Star of Bethlehem, Willow, Oak e Crab Apple.

7- Para os controladores: Chicory, Vervain, Vine, Beech e Rock Water.

 

A aplicabilidade dos Florais de Bach não fica restrito somente a sua utilização oral. Podemos utilizá-lo através de compressas no corpo, no banho de imersão, inalação, em creme corporal, spray para ambientes, nas plantas e nos animais.

 

Lembrando novamente que os florais não substituem o tratamento médico convencional quando este se fizer necessário, mas podem atuar como terapia complementar.

 

Em compressas: indicado para dores, tensões, queimaduras, problemas de pele, picadas, pancadas, conjuntivites. Pingar 4 gotas do Rescue Remedy (stock),  no soro fisiológico, umedecer a gaze e aplicar no local desejado. Deixe alguns minutos. Conforme o caso, pode-se acrescentar outras essências, 2 gotas do stock.

 

Banhos de imersão: indicado para dores, tensões ou simplesmente para relaxar. Pingar diretamente na água, 4 gotas (stock) do Rescue Remedy ou 2 gotas (stock) de outras essências.

 

Inalação: indicado para pessoas com problemas respiratórios, bronquites, pneumonias ou gripes. Colocar 4 gotas do Rescue Remedy (stock) no soro fisiológico e, se necessário, outras essências, 2 gotas (stock).

Rescue cream: indicado para aspereza, escamação e ressecamento da pele. Picadas e pancadas. Composto das cinco essências florais do Rescue + Crab Apple.

Em algumas ocasiões, utilizei um creme neutro para massagem adicionando essências florais (stock) com excelentes resultados.

 

Spray para ambientes: gosto de misturar as essências florais (stock) com óleos essenciais no ambiente. As combinações podem ser as mais variadas possíveis, para alegrar, proteger, limpar, estudar, descansar, etc.

 

Nas plantas: indicado quando houver transplantação para um vaso novo, depois do replante ao ar livre, após a exposição à geadas ou a pragas. Misturar 4 gotas (stock) do Rescue ou 2 gotas (stock) de outra essência na água a ser dada, ou através de um borrifador, nas folhas.

 

Para os animais: indicado para os mais variados estados emocionais. Geralmente, incluo a mesma prescrição para o dono do pet. Por que? Os animais são extremamente sensíveis e vulneráveis aos nossos humores, sendo tratado, em muitos lares, como membro da família.

Os florais que serão utilizados por via oral, em animais e crianças, devem ter o preparo diferenciado. Forneça esta informação a sua farmácia de manipulação, para que eles façam o preparo sem o conservante alcoólico. Assim, para preservar a sua durabilidade, guardar na geladeira.

Pode-se também utilizar essências florais nos shampoos dos pets.

 

Você deve ter lido a palavra stock várias vezes neste texto, qual o seu significado?

Stock é o preparado floral concentrado, originário da Inglaterra, vendido em vidros de 10 ou 20 ml. Os frascos de stock são produtos caros. Quando compensa comprar? Para tratamentos prolongados, identificação/conhecimento da sua vibração original, utilização freqüente de determinada essência. Na hora da compra, verifique se o rótulo traz o símbolo do “Bach Center”.

Mais em conta e para curtos períodos, são os florais manipulados nas farmácias a partir do frasco de stock, utilizados por via oral. Algumas gotas são misturadas na água mineral sem gás e um conservante alcoólico, geralmente brandy ou conhaque. Também é possível ser manipulado com vinagre de maçã, ou somente com água mineral, neste caso, conservá-lo no geladeira.

 

Atualmente, o Rescue Remedy é vendido nas formas de pastilhas, spray, creme, frasco conta-gotas e o Rescue Sleep – indicado para distúrbios do sono – fórmula acrescida do White Chestnut.

 

Alguns autores indicados:

JONES, T.W.H. Dicionário dos remédios florais do dr. Bach. SP: Pensamento, 1998.

MONARI, C. Participando da vida com os florais de Bach. SP: Roca, 2002.

SCHEFFER, M.Terapia Floral do dr.Bach. SP: Pensamento, 2002.

 

Márcia Watanabe Hitaka é naturóloga. Para conhecê-la um pouco mais, acesse:Profissionais.

 

(Crédito da imagem: tudoglobal.com)