Espaço Naturológico | Terapêutico | Preventivo

Massoterapia II – A massagem como tratamento

 

Por Márcia Watanabe Hitaka


Para ficar por dentro, leia o post, Massoterapia I – Introdução, Histórico, o Ciclo da dor.

 

O toque, em si mesmo, possui um imenso valor e transmite uma mensagem imediata de carinho, aceitação e apoio. É fator essencial no estabelecimento de um senso de auto-estima para o paciente. A aceitação do toque é um grande passo no processo da cura emocional, demonstrando que o paciente está começando a gostar de si mesmo e a confiar em outra pessoa. Ela também ajuda a tratar a psique e permite que o paciente lide melhor com seus problemas e com as circunstâncias vividas” M. Cassar.


MECANISMO DE AÇÃO

A pele cobre toda a superfície do corpo; é o maior órgão sensorial do corpo. Protege-nos das toxinas e danos, mantém a temperatura corporal e é importante na produção de vitamina D. Ela recebe estímulos como toque, pressão, dor e temperatura.

Temos na pele receptores sensoriais. Cada tipo de receptor é especializado, só respondendo a um tipo especifico de estimulo. Assim, eles são classificados como: mecanoceptores, quimioceptores e termoceptores.

Assim, ao receber o toque terapêutico, a nossa pele, através dos receptores sensoriais, mecanoceptores, iniciam a atividade neural dentro do neurônio aferente. Segundo Cassar (2001), essas atividades neurais iniciais são chamadas de potenciais graduados, que são traduzidos em potencial de ação. Assim, os neurônios sensoriais conduzem informações dos receptores para a medula espinhal, para os trajetos ascendentes dentro da coluna e para o cérebro (tronco cerebral, tálamo e córtex).

Cassar (2001, p. 37), explana sobre o efeito mais freqüente da massagem, que é a sensação geral de bem-estar:

“[…] que se manifesta pela atividade autônoma. O relaxamento conquistado com a massagem tem um efeito indireto sobre o sistema nervoso autônomo e, em particular, sobre a divisão parassimpática. O relaxamento profundo supostamente aumenta a estimulação parassimpática, e parece que, quanto mais relaxado o individuo torna-se durante e após a massagem, maior a estimulação. Um centro primário nesse circuito complexo é o hipotálamo, que controla a maior parte do sistema nervoso autônomo e o integra ao sistema endócrino. O hipotálamo faz parte do sistema límbico e responde aos impulsos recebidos de neurônios sensoriais viscerais e somáticos. Ele também responde a emoções internas como medo, ansiedade, expectativa e relaxamento”.

 

TRATAMENTO PARA A DOR

Por que a massagem pode ser utilizada para o tratamento da dor?

  • Através do toque, há a aplicação de várias manobras. A massagem vai estimular o organismo a produzir analgésicos naturais como a serotonina e a endorfina.
  • Durante a massagem, há um aumento do fluxo sanguíneo, ocorrendo uma vasodilatação, facilitando assim, o deslocamento de metabólicos e catabólicos (toxinas) para eliminação. O excesso de toxina no corpo provoca a dor.
  • Portal da dor: para entendermos como ocorre, citarei um exemplo. Supondo que você bata o cotovelo e depois, instintivamente, friccione o local com a mão, por causa da dor. Neste caso, de uma forma resumida (fisiologicamente) vamos pensar em duas classes de fibras: a A e a C, aonde as fibras de classe A são as do tato, mais calibrosas e mielinizadas, e as fibras classe C, seriam da dor da pancada, mais lentas e sem a bainha de mielina. Neste exemplo, quando as fibras A são ativadas, além da condução ser mais rápida, ativaria um interneurônio na substância gelatinosa e provocaria uma inibição pré-sináptica nos receptores que conduzem a dor, como se um portão fosse fechado. Assim, a recepção do tato – através da fricção -chegaria antes da dor, atenuando a sensação dolorosa.

 

EFEITOS FISIOLÓGICOS

Aumento da circulação sanguínea e linfática, aumento do fluxo de nutrientes, remoção dos produtos catabólicos e metabólicos, estimulação do processo de cicatrização, resolução do edema e hematoma crônico, aumento da extensibilidade do tecido conjuntivo, alivio da dor, aumento dos movimentos das articulações, facilitação da atividade muscular, estimulação das funções autonômicas e viscerais, remoção das secreções pulmonares, promoção do relaxamento local e geral (DARÉ e EBELE, 2006).

 

EFEITOS MECÂNICOS

Movimento de: linfa, sangue venoso, secreções pulmonares, edema, conteúdo intestinal e de hematomas (DARÉ e EBELE, 2006).

Mobilização de: fibras e massas musculares, tendões e tendões em bainha, pele e tecido subcutâneo, tecido cicatricial e aderências (DARÉ e EBELE, 2006).

 

EFEITOS PSICOLÓGICOS

Relaxamento físico, alívio da ansiedade e tensão (estresse), estimulação da atividade física, alivio da dor, sensação geral de bem-estar (DARÉ e EBELE, 2006).

 

CONTRA-INDICAÇÕES GERAIS (DARÉ e EBELE, 2006).

  • Infecção aguda
  • Doença de pele nos locais afetados
  • Câncer ou tuberculose
  • Presença de corpos estranhos (caco de vidro, bala,etc.)
  • Gestação até o terceiro mês de gravidez
  • Inflamação aguda
  • Feridas abertas.
  • Trombose (Cassar, 2001)

 

Portanto, a massoterapia pode ser definida como um conjunto de manobras que consiste na mobilização e manipulação da pele, músculos e articulações, visando promover o bem-estar do organismo. Indicado para a prevenção e/ou tratamento auxiliar de dores de cabeça, rigidez na nuca e ombros, ansiedade, constipação, desintoxicação orgânica e melhoria do fluxo sanguíneo, linfático e energético.

 

O contato, através do toque, possibilita o desenvolvimento da consciência e sensibilização corporal.

 

Numa abordagem holística, a dica para um bom resultado envolve uma série de mudanças no seu dia-a-dia. Considerar reeducação: postural, alimentar e emocional; alongamentos diários, atividades físicas regulares, enfim, cuidar mais de si, não delegando a responsabilidade integral para terceiros.

 

Bibliografia consultada:

ARIELI, S.L.E. Como funciona o seu corpo. São Paulo: Quark do Brasil, 1998.

CASSAR, M.P. Manual de massagem terapêutica. São Paulo: Manole, 2001.

DARÉ, P., EBELE, R. Apostilas da cadeira de Massoterapia – material não publicado –  curso de Naturologia Aplicada – Unisul: 2006.

FRITZ, S. Fundamentos da massagem terapêutica. São Paulo: Manole, 2002.

SINGI, G. Fisiologia dinâmica. São Paulo: Atheneu, 2001.

 

 

Márcia Watanabe Hitaka é naturóloga. Para conhecê-la um pouco mais, acesse Profissionais.

 

 

(Crédito da imagem: elanerebello.blogspot.com).

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s