Espaço Naturológico | Terapêutico | Preventivo

Arquivo para maio, 2011

Um dia no hospital: Mudanças para uma vida inteira!

 

 

Por Daiana Strada

 

 

A dor era quase insuportável. Meu corpo gritava. E eu, na minha ignorância humana, não conseguia ajudá-lo. Algo errado estava acontecendo e eu precisava de ajuda.

Chego ao hospital por volta de 3 horas da manhã e vem o diagnóstico: Apendicite. Uma suspeita, ainda. Mas pelos protocolos hospitalares eu deveria ser operada em breve.  Como o médico cirurgião só veio no dia seguinte, meu corpo foi lentamente se recuperando e a suspeita ficou só na suspeita, sem necessitar de operação. Feliz em poder voltar pra casa, mas com um questionamento interior: o que eu fiz com o meu corpo (físico e emocional) para sentir tanta dor?

Apesar de ter feito uma faculdade que me facilita o entendimento da psicossomática, nem sempre tenho as perguntas certas que me levem as respostas que preciso ouvir. Muitas vezes é um enigma, um quebra-cabeça, tentar entender os sinais que meu corpo mostra.

Passado o susto e de volta a rotina, recebo de uma amiga uma mensagem que reacendeu os meus questionamentos. Deixando claro que não posso simplesmente ignorar o que aconteceu. Talvez eu não encontre as respostas sozinha, mas de que modo modifico a minha vida a partir de uma “doença”?

Não sou exemplo de hábitos saudáveis, mas não estou muito longe…aparentemente. Mas, quantos conteúdos inconscientes estou guardando? E quantas  pequenas atitudes que eu tenho e que maltratam o meu corpo diariamente, sem nem perceber?

Um dia, o corpo grita por socorro. E se ele grita é porque ainda é tempo de apaziguar as dores da alma, mudar hábitos, limpar o coração… para renovar, renascer.

Para muitos, as atitudes de agora só irão se refletir daqui 10 ou 20 anos, onde mudar fica mais difícil. Mas não impossível!!!

E se pudéssemos ver o que estamos fazendo com o nosso corpo e nossa mente a todo momento. Se cada atitude nossa mostrasse seu resultado de forma clara e imediata, será que continuaríamos a maltratar nosso corpo?

As suas escolhas de agora, do que você quer ler, ouvir, comer. Com quem você quer conviver, que sonhos você quer realizar. Tudo isso tem um retorno, favorável ou não. Escolha ser feliz e saudável, não só agora e nem só quando o corpo pedir, mas toda a sua vida.

 

Escute o seu corpo!


Para refletir, compartilho uma mensagem :

O resfriado ocorre quando o corpo não chora.

A garganta entope quando não é possível comunicar as aflições.

O estômago arde quando as raivas não conseguem sair.

O diabetes invade quando a solidão dói.

O corpo engorda quando a insatisfação aperta.

A dor de cabeça deprime quando as duvidas aumentam.

O coração desiste quando o sentido da vida parece terminar.

A alergia aparece quando o perfeccionismo fica intolerável.

As unhas quebram quando as defesas ficam ameaçadas.

O peito aperta quando o orgulho escraviza.

O coração enfarta quando chega a ingratidão.

A pressão sobe quando o medo aprisiona.

As neuroses paralisam quando a “criança interna” tiraniza.

 

Autor desconhecido

 


Daiana Strada é naturóloga. Para conhecê-la um pouco mais, acesse Profissionais.

 

 

(Crédito da imagem: anadedavid.blogspot.com/2010/06/reflexoes.html).

Anúncios

Ponto de vista: Viver!

 

Por Santiago de Moraes Silva

 


Acabo de ler que hoje, 21/05/2011, o mundo ira acabar. O responsável pela previsão é um senhor que, já havia previsto tal acontecimento alguns anos antes. Mas como nada aconteceu, disse que foi erro de cálculo, e que desta vez é para valer. A previsão se baseia em versículos da bíblia e contas (somatória de números de difícil compreensão) que predizem o dia exato do final dos tempos.

Fico a pensar com meus botões: será que o planeta vai terminar deste jeito? Do nada? Através de alguma hecatombe?  Acho improvável. Não vejo Deus destruindo um planeta apenas para julgar seus filhos. Mais parece uma criança que constrói um castelo de areia e logo depois destrói, sem mais nem menos.

No meu entender o nosso pequeno planeta nasce e morre a todo instante. Na realidade a vida depende da morte para manter-se. Mas, sem grandes devaneios, o mundo acaba a cada vez em que ofendemos nossos irmãos. Quando cometemos atrocidades em nome D’Ele. Ou quando nos eximimos de qualquer responsabilidade sobre as dificuldades alheias (como se fosse possível viver em uma bolha de felicidades e alegrias).

O planeta renasce a cada criança que é posta neste mundo. A cada amor declarado, a cada garfada quando estamos com fome ou “matando” a fome de alguém, ao silêncio quando ouvimos coisas que não gostaríamos. O mundo brota, como uma semente saindo da terra em busca de luz, no instante em que acordamos e damos graças por mais um dia. Pedir perdão é o inicio de uma nova vida (e a morte de “outra”, certo?).

Não questiono muito menos critico quem crê nestas previsões. Como também não vejo o “dia do julgamento final”, momento em que Deus em pessoa ira julgar se somos merecedores de graças eternas ou de sofrimentos, igualmente, eternos. O dia do julgamento acontece – no meu entender- quando tomamos consciência de nossos atos errados e, voluntariamente, começamos a modificar nosso modo de viver a vida. Deus nos deu a consciência, que é mais que capaz de nos mostrar o que devemos e o que não devemos fazer. E quando esse discernimento acontece nosso “grande dia” chegou, e cabe a nos decidir qual providencia tomar.

Assim o que nos resta é viver uma vida digna, responsável e honesta para que, aconteça o que acontecer, não teremos nada do que nos envergonhar,  seja perante nossa consciência ou Deus.

 

 

Santiago de Moraes Silva é naturólogo.

 

 


(Crédito da imagem: sensibilidadedasflores.blogspot.com)


Aromaterapia – Perfil: Alecrim

 

Por Márcia Watanabe  Hitaka

 



Para saber um pouco mais sobre óleos essenciais, veja posts, Aromaterapia: Fragrâncias no ar e Óleo essencial e essência.

 

 

Denominação botânica: Rosmarinus officinalis

Processo de extração: Destilação a vapor d’agua. Necessários 50 à 70 kg de folhas para extrair 1 kg de óleo essencial.

Nota perfumística: meio

Persistência da nota inicial: de média a forte

Descrição olfativa: fresco, herbal, doce, levemente medicinal.

Principais componentes químicos: álcool monoterpeno, óxidos, cetonas e hidrocarbonetos monoterpenos.

Indicações: estimulante adrenal(fadiga e depressão), estimulante do sistema nervoso central, tônico(coração, fígado, vesícula biliar, queda excessiva de cabelo, melhora a memória, aumenta a pressão arterial), bactericida(salmonella sp., escherichia coli, staphylococcus e vibrio clolerae), analgésico(aliviar dores articulares, musculares e cefaléia), expectorante e mucolitico.

Efeitos emocionais: Traz clareza mental, facilitando a concentração. Indicado quando surge cansaço físico e mental.

 

Precauções: Crianças a partir de sete anos, lactantes e grávidas, com cautela. Hipertensos e epiléticos. Evitar o uso em conjunto com tratamento homeopático. Pode alterar o padrão de sono quando utilizado a noite.

 

 

Relatos sobre a utilização

Aumento da pressão arterial: um rapaz derramou(sem querer) uns 5 ml do óleo essencial dentro de um carro fechado. Poucos instantes depois, teve que ser socorrido, pois apresentava quadro de taquicardia.

Concentração: na época das provas, resolvi testar a indicação de clareza mental. Usei em um difusor elétrico e qual não foi a minha surpresa, quando senti o inverso, muito sono e cansaço. Ao pesquisar mais autores, entendi a situação. Se a pessoa está apática e sem motivação, o Alecrim age como um tônico. Agora, se você já está “acelerada” e cansada, num primeiro momento, o Alecrim trará os efeitos para uma pausa, um descanso em suas atividades, por isso, o sono. Depois, com a mente descansada, aí, o seu uso trará a clareza mental e a concentração.

Protetor: Muitas pessoas o usam como protetor energético e espiritual, dentro e fora das residências, lojas, carros, etc. Creio que em algum momento, já ouviram alguém comentar que o Alecrim murchou ou secou depois que Fulana de tal pôs o olho invejoso.

 

Davis(1996, p.34) comenta algumas passagens históricas sobre esta fama de protetor que o Alecrim carrega.

“[…] diz a lenda que outrora suas flores eram brancas, mas que se tornaram azuis depois que a Virgem Maria pendurou o seu manto em um arbusto de Alecrim quando a Sagrada Família parou para descansar em sua fuga para o Egito”.

“Os campônios da antiga Grécia[…] queimavam ramos de Alecrim em seus santuários. Também os romanos reverenciavam-no como uma planta sagrada, e encontraram vestígios dela em túmulos egípcios”.

“[…] usado como defumador durante toda a Idade Média, para expulsar demônios durante os exorcismos”.

 

 

Bibliografia consultada:

Corazza, S. Aromacologia – uma ciência de muitos cheiros. São Paulo: Senac, 2002.

Davis, P. Aromaterapia. São Paulo: Martins Fontes, 1996.

Farias, F., Duarte, J. Apostilas da cadeira de Aromaterapia – material não publicado: Unisul, 2006.

Silva, A. R. Tudo sobre aromaterapia. São Paulo: Roca, 2001.

Ulrich, H. N. Manual prático de aromaterapia. Porto Alegre: Premier, 2004.

 

 


Márcia Watanabe Hitaka é naturóloga. Para conhecê-la um pouco mais, acesse: Profissionais.

 

 

(Crédito da imagem: blogsabermedico.com.br)


Metafisica – Parte II

 

Por Débora Pasquati


Para ficar por dentro, leia o post: Metafisica – Parte I

 

 

A Natureza é regida por inúmeras leis naturais, e uma delas diz que para toda ação há sempre uma causa, mesmo quando nossa inteligência não consegue alcançar a total compreensão dos processos da vida envolvidos nessa causa.

Via de regra, a grande maioria das pessoas nem se quer tentam verificar a verdade sobre o que causou os fatos em suas vidas. Elas simplesmente se conformam e se acomodam em uma postura de vítima, atribuindo à sorte, ao azar ou a um poder superior a causa dos acontecimentos, uma vez que acreditam que estes acontecem independentemente de suas vontades.

Esse tipo de pessoa acredita que o acaso provoca acontecimentos dolorosos; de que é vítima de algo que manipula sua vida; pensa que os problemas são causados pela inveja dos outros ou pelo destino; ou ainda prefere se revoltar a procurar desvendar a verdadeira realidade dos fatos.

Reagir com revolta ou comodismo é preservar uma atitude de vítima, e, sendo o vitimismo uma forma infantil de lidar com os fatos, deve ser eliminado pois, é sem dúvida, o maior empecilho ao progresso da humanidade, uma vez que faz com que a pessoa perca seu poder de transformar os acontecimentos desagradáveis e construir uma vida que melhor lhe agrade.

Encontrar as respostas que explicam os acontecimentos desagradáveis de nossas vidas, exige certa predisposição a aceitar o novo e abandonar de vez as antigas concepções de acaso e de injustiça que há muito estão impregnados na humanidade. Além dessa predisposição, se faz necessária a abertura das pessoas para seguir a intuição e, principalmente, um comprometimento pessoal de cada um, em procurar obter uma vivência prática, observando as sensações de seu corpo, para que então se alcance a possibilidade de desvendar a realidade dos fatos da vida.

Essa procura pela verdade da vida vai nos levar a única explicação plausível para absolutamente tudo o que acontece de bom ou prejudicial em nossas vidas, ou seja, de que somos a causa de tudo! Uma vez que somos o centro de nossas vidas e o senhores de nossos próprios destinos.

Se sua vida estiver tomada por impedimentos, relacionamentos difícieis, falta de recursos financeiros e doenças, entre outros problemas, saiba que esse é o principal indicador de que você ainda não está fazendo o devido uso de seus poderes naturais, os quais sempre comandam o seu destino.

Apoderar-se de sua consciência metafísica faz com que você reconheça em si mesmo o referencial manifestador que cria a sua realidade e se livre definitivamente do pretexto de atribuir ao externo suas frustrações internas. Perdendo, dessa forma, o álibi que sempre usou para justificar suas inabilidades, mas ganhando o poder interior de intervir nas situações externas, podendo transformar as situações desagradáveis e alterando sua vida para melhor.

 

 

Todo esse conhecimento metafísico você pode encontrar com mais detalhes nos quatro volumes da Coleção “Metafísica da Saúde”, dos autores Valcapelli e Gasparetto, da Editora Vida e Consciência. Livros os quais devem existir em todas as casas das pessoas que estão dispostas a tomar as rédeas das próprias vidas e deixar de apenas ir sobrevivendo um dia após o outro sempre procurando alguém ou algo para responsabilizar pelos seus próprios infortúnios e tristezas.

 

 

Débora Pasquati é naturóloga. Desde 2009 vem incorporando a metafísica em seus atendimentos. Para conhecê-la um pouco mais, acesse Profissionais.

 

 

(Crédito da imagem: br.olhares.com/amarilis)


Agendamentos – Últimos horários: Quiropraxia e desintoxicação de metais pesados

 

 

Olá pessoal,

 

 

Os profissionais, Ozemar Costa – quiropraxista – e Débora Pasquati – naturóloga – estarão atendendo no Spatiu Florescer de 08 à 13 de maio.

 

 

Para conhecer o trabalho de Ozemar Costa, acesse Profissionais e vejam os posts:

–         O que é quiropraxia?

–         Histórico da quiropraxia

–         Quiropraxia: Indicações e contra-indicações

–         Quiropraxia: Recomendações

 

 

Para conhecer Débora Pasquati, acesse Profissionais e vejam os posts:

–         Intoxicação silenciosa

–         Terapia Bio-elétrica

–         Casos de intoxicação por metais pesados

–         O que é Prata coloidal?

–         Metafísica I

 

 

Além dos tratamentos, estará a venda o litro da Prata coloidal concentrada (diluída, rende mais 4 litros).

 

 

Para agendamentos e maiores informações, Márcia:

(48) 8821-7358

marciahitaka@yahoo.com.br