Espaço Naturológico | Terapêutico | Preventivo

Arquivo para janeiro, 2012

Kung Fu Panda – Ser especial!

 

Por Márcia Watanabe Hitaka

 

Durante as férias, revi um desenho maravilhoso com as minhas sobrinhas, Kung Fu Panda. Divertido, “gargalhante” e mimoso!

 

Sinopse: Po, um urso panda, sonha em ser um dia, um famoso lutador de Kung Fu.

No decorrer deste delicioso desenho, vamos conhecendo a história do bonachão panda Po. Sonhador, tece mil fantasias com os seus heróis, Os 5 Furiosos, que são a Tigresa, Víbora, Macaco, Garça e o Louva-a-deus, exímios lutadores de Kung Fu. Em seus devaneios, retrata-se sempre como um grande lutador, admirado pelo povo e temido pelos vilões. Mas a sua realidade é outra. Dia após dia, triste e insatisfeito, ajuda o pai no restaurante da família. Tenta abordar o pai, se este nunca pensou em outra profissão. Seu pai disse que há muito tempo atrás, teve uma ideia errante, mais que logo pôs os pés no chão, afinal, o restaurante está há muitas gerações na família. E mais, o pai não se cabe de contentamento, pois logo passará a direção do estabelecimento para o filho, assim como, o nome do ingrediente secreto de sua famosa sopa de macarrão.

Um certo dia, é anunciado no vilarejo, que durante o festival, o Mestre Oogway apontará o Dragão Guerreiro entre os 5 Furiosos. Po quase explode de felicidade, pois terá a chance de ver em ação, ao vivo, os seus heróis.

Na tentativa de assistir ao festival, Po enfrenta alguns percalços e por obra do destino, é apontado como o Dragão Guerreiro, aquele que enfrentará e salvará o vilarejo do grande mal representado por Tai Lung.

Todos ficam incrédulos com a escolha. Como um panda gordo, desajeitado, comilão e com físico de lutador de sumô é apontado para cumprir uma antiga profecia?

A partir deste momento, Po tem tudo nas mãos para dar a guinada que esperava. Mas como? Ninguém acredita em seu potencial, inclusive ele.

As paisagens são encantadoras! Entre as minhas cenas favoritas, está à subida de Po pela escadaria do Templo, hilário! A cena com o pé de pessegueiro em flor é belíssima, divertida e marcante!

Este cativante desenho a todo momento nos traz inúmeras lições, permeadas com muito riso: Motivação, superação, autoestima, empoderamento, crer em um sonho, e principalmente:  ACREDITAR QUE VOCÊ É UMA PESSOA MUITO ESPECIAL!

 

 

Titulo original: Kung Fu Panda

Lançamento: 2008

Direção: Mark Osborne e John Stevenson

Elenco (optei em colocar o nome dos personagens, e não o nome dos dubladores): Po, Mestre Shifu, Tai Lung, Tigresa, Víbora, Macaco, Graça, Louva-a-deus, Mestre Oogway, Ping, entre outros.

Duração: 92 minutos

Gênero: animação

 

 

Márcia Watanabe Hitaka é naturóloga. Para conhecê-la um pouco mais, acesse Profissionais.

 

 

(Crédito da imagem: cinepop.com.br/filmes/kungfupanda.htm)

Anúncios

2012: O ano do Dragão de Água

 

Por Márcia Watanabe Hitaka 

 

Amanhã, pelo horóscopo chinês, começa o ano do Dragão. Eu reparei que em muitos lugares, só se comenta o signo animal, sem menção ao elemento e a polaridade. Resolvi ir atrás destas informações e agora compartilho com vocês.

 

 

Origem: Segundo a lenda, quando Buda ia deixar este mundo, convidou todos os animais para uma despedida. Apenas doze, concluíram a jornada. Assim, em agradecimento, Buda deu os seus nomes para os anos que se seguiram. Pela ordem de chegada, foram: Rato, Boi, Tigre, Coelho, Dragão, Serpente, Cavalo, Ovelha, Macaco, Galo, Cão e Javali.

 

Signos, elementos e polaridades: Cada signo é associado a um elemento e uma polaridade. Na tabela abaixo, nota-se a ausência do elemento Terra. Segundo Crawford e Kennedy (1995), isto ocorre porque todos os signos estão intrinsecamente ligados à Terra.

Signo Elemento Polaridade
Rato Água Positiva
Boi Água Negativa
Tigre Madeira Positiva
Coelho Madeira Negativa
Dragão Madeira Positiva
Serpente Fogo Negativo
Cavalo Fogo Positivo
Ovelha Fogo Negativo
Macaco Metal Positivo
Galo Metal Positivo
Cão Metal Positivo
Javali Água Negativa

 

Os elementos e o horóscopo: A filosofia chinesa tem seus pilares no Tao, Qi, yin e yang e na teoria dos 5 Elementos. Assim, justifica-se a inserção da tabela acima, para que possamos começar a compreender que 2012, não é simplesmente o ano do Dragão. Naturalmente, o elemento que rege o Dragão é a Madeira, mas em 2012, teremos a Água como elemento dominante. Agora, aquecendo e exercitando os neurônios. Segundo o Ciclo Sheng (geração – mãe e filho), a Água é a mãe da Madeira; a polaridade deste ano será positiva, ou seja, yang; assim como, a polaridade natural do Dragão. A astrologia chinesa, assim como a ocidental, neste ponto não difere, pois torna-se necessário uma interpretação. Lançar um olhar em como os signos, elementos e polaridades interrelacionam-se.

 

O Dragão de Água: “A Madeira junto com a Água, faz deste Dragão, um excelente negociador. Ele pode acalmar as águas, aplainar arestas e alisar as pregas em qualquer situação, ao mesmo tempo, proporcionando o que é bom para todos. A força intuitiva da Água, torna-o mais sábio que os outros Dragões, enquanto a Madeira, o torna progressista, lógico e capaz de construir o futuro, contato que se preocupe em construir uma base sólida. Este é um Dragão extremamente criativo, e esta qualidade vai revelando-se em todas as suas empreitadas. A coisa mais difícil para este Dragão é aprender a abrir mão quando se tornou óbvio que ele errou. Este nativo, diferente de seus companheiros, não vai ofender-se e guardar ressentimentos se outros não o seguirem. Ele tem uma percepção de si mesmo altamente desenvolvida e raramente depende dos outros para valida-la. Ele adora admiração, mas não a requer. O Dragão de Água é tão obstinado como qualquer outro Dragão, mas, diferente dos outros, não vai sentir-se tão impelido a impor sua opinião. A Água aqui é diplomática e conciliadora, mas não necessariamente passiva. Frio e controlado, este é um Dragão bastante capaz de trilhar seu próprio caminho até que os outros se dêem conta do quão certo ele esteve o tempo todo”. (extraído do livro Astrologia Chinesa e os 5 elementos)

 

O Dragão é um signo muito apreciado pelos chineses, a ponto dos pais desejarem um filho nascido em seu ano. Para os chineses, nascer neste signo é trazer todas as características de um imperador, atraindo muito prestigio e sucesso.

 

 

Bibliografia consultada

Almanaque do Pensamento. São Paulo: Pensamento – Cultrix, 2004.

CRAWFORD, E.A., KENNEDY, T. Astrologia Chinesa e os 5 elementos. Porto Alegre: Kuarup, 1995.

 

 

Márcia Watanabe Hitaka é naturóloga. Para conhecê-la um pouco mais, acesse Profissionais.

 

 

(Crédito da imagem: http://www.chinavoc.com/dragon/rulerimp.asp)


Filanópolis

 

Por Yukie H.

 

Moro em “Filanópolis”. Isso mesmo, parte de minha vida e de boa parte da população, consome-se em filas nesta cidade, a “Ilha da Magia” onde infelizmente não há mágica que faça desaparecer a fila. Fila para ir ao trabalho, para voltar dele, fila nos bancos, fila no supermercado, fila na lotérica, fila para conseguir uma consulta em médico que atenda por plano médico, sem comentários a fila no SUS onde o nosso ex-presidente deveria ir tratar o câncer. E se já estiver no hospital: fila por um leito, fila para UTI- conheço gente que entrou na fila para sala de cirurgia e quando tudo caminhava para sua vez, surgiu um caso considerado mais grave e essa pessoa teve que ceder o seu lugar após dois meses de espera. Fila para os pais que desejam vagas em creches públicas, fila para matrícula em escolas públicas ( consideraria  justificável em um tempo que o ensino público fundamental era considerado melhor que o privado), fila de espera nas ligações para 0800 ou 4004, fila para pegar o ônibus,para descer do ônibus, para conseguir um assento no ônibus.

Na década de 80 havia uma fila de apadrinhados aguardando um lugar na Assembléia Legislativa de SC e alguém teve a belíssima idéia de aposentar um bocado de servidores para que os que aguardavam na fila pudessem entrar. Fez-se então uma fila para os candidatos à aposentadoria precoce. E nunca em uma década específica aposentou-se tanta gente…

Fila de procedimentos para abrir uma empresa e fila ainda maior para fechá-la.

Fila de ministros que caem feito dominó: Antônio Palocci da Casa Civil que aumentou seu patrimônio em mais de 20 vezes alegando como fonte as consultorias privadas que realiza( que tal começarmos a organizar uma fila por consultoria tão preciosa…), Alfredo Nascimento dos Transportes, Nelson Jobim da Defesa( o único que não teve como estopim denúncias de corrupção, o que não significa que esteja na fila dos santos), Wagner Rossi da Agricultura, Pedro Novais do Turismo(pagando governanta com dinheiro público por sete anos, utilizando servidor público como motorista particular para sua esposa e usando cota parlamentar para pagar motel),Orlando Silva do Esporte… Quem é o próximo da fila?

A fila em sua essência não é ruim. A fila é matemática, ela organiza, orienta e permeia a vida. O que indigna é aquela que surge não porque o sistema não poderia suprir a demanda do usuário, mas por estar corrompido por administração incompetente e interesses privados.

Alguém aí quer entrar na fila da esperança por um mundo melhor?

 

 

Yukie H. é uma mercadora de idéias, desabafando…

 

 

(Crédito da imagem:

Associação dos Ciclousuários da Grande Florianópolis http://www.google.com.br/imgres?q=transito+ponte+florianopolis&hl=pt-BR&gbv=2&biw=1280&bih=653&tbm=isch&tbnid=_ui-7uxMCWmkIM:&imgrefurl=)


Dançar é cantar com o corpo!

 

Por Fernanda Bonemann

 

Danço, rodopio e não penso
Pois somente as sensações podem prevalecer
Que me importa como me analisam?
Se, com esses movimentos, enriqueço o meu viver!!

(fragmentos da poesia – Vivo a Dança)

Desde 1982, no dia 29 de abril, comemora-se o dia internacional da dança, instituído pela UNESCO em homenagem ao criador do balé moderno, Jean-Georges Noverre.

biodança [do espanhol biodanza, neologismo do grego bio (vida) + dança, literalmente a dança da vida] é um sistema de integração afetiva e desenvolvimento humano baseado em “vivências” (experiências intensas no “aqui e agora”) criadas através de movimentos de dança com músicas selecionadas, e através de situações de encontro não-verbal dentro de um grupo, centradas no olhar e no toque físico.

O “Sistema Biodanza” foi criado nos anos 1960 pelo antropólogo e psicólogo chileno Rolando Toro Araneda e se encontra difundido em diversos países, incluindo países da América Latina, Europa, Canadá, Japão e África do Sul.

A Biodança é um sistema de integração e desenvolvimento, baseado em vivências corporais induzidas pela música, através de integração afetiva, renovação orgânica e reaprendizagem das funções originárias da vida e da comunicação grupal.

O objetivo da biodança é o desenvolvimento da saúde psíquica. Orienta-se no sentido de resgatar a vida que se encontra oprimida. É uma técnica holística de liberação, que facilita o desenvolvimento das formas de viver positivas.

A biodança é um sistema de desenvolvimento humano no qual a música e o movimento formam uma unidade coerente com a emoção. Seus principais objetivos são: estimular o lado positivo das pessoas; desenvolver a criatividade; melhorar a capacidade de comunicação; auxiliar no autoconhecimento fortalecendo a identidade e a auto-estima; aumentar a resistência ao estresse e aos estados de ansiedade; promover a integração e o desenvolvimento de cada indivíduo.

As vivências em biodança visam fortalecer a identidade valorizando as qualidades que cada um, inegavelmente possui, e estimulando a comunicação não verbal. Por se tratar de uma terapia que só pode ser desenvolvida em grupo, a biodança da vida, promove o encontro entre as pessoas fortalecendo os laços afetivos e a livre expressão.

As emoções que afloram durante uma vivência de biodança são rejuvenescedoras, na medida em que despertam dentro de cada um o ímpeto vital que impulsiona a querer viver cada momento na sua plenitude. A prática da biodança proporciona a expressão de emoções musculares existentes que, em muitos casos, são responsáveis por dores musculares, dores de cabeça, depressão e outros como vimos anteriormente. Desta forma iremos, gradativamente restabelecendo o equilíbrio do corpo e alcançando a saúde física e mental.

Através da dança e dos movimentos propostos nas vivências de biodança, o nosso corpo torna-se integrado e sensível e o ato de criar torna-se natural e extremamente prazeroso. Percebemos que, com o passar do tempo, estes efeitos poderão ser notados em todos os momentos da nossa vida.

Segundo o modelo teórico da biodança, existem cinco linhas de vivência que representam os potenciais genéticos de todas as pessoas: vitalidade, criatividade, sexualidade, afetividade e transcendência. Estes potenciais acabam perdidos ou simplesmente esquecidos, em função dos condicionamentos e repressões culturais. Quando um desses potenciais se torna deficiente, todo resto fica comprometido. A estrutura de uma vivência de biodança pode variar de um facilitador para outro, todos, porém, sempre levam em conta as cinco linhas de vivências. Além disso, colocam em evidência dois pólos entre os quais nossas sensações variam: regressão e identidade.

Vitalidade: descoberta da existência da energia vital, a energia que a pessoa tem para enfrentar o mundo. Melhoria na sua qualidade de vida, potencial de harmonia e equilíbrio, disposição para o trabalho e lazer. Melhora nas doenças psicossomáticas, maior capacidade de superação, mais alegria de viver, aumento de auto-estima e do autoconceito positivo.

Criatividade: é o elemento de renovação que deve aplicar-se à própria vida. Criar a si mesmo e dar sentido a cada ato. Espontaneidade, mais saídas de si, abertura as mudanças, criar maior influência no ambiente, mais ousadia de correr riscos e viver o presente visando o futuro.

Sexualidade: despertar da energia sexual, aceitação do corpo e perda de sentimentos de culpa, eliminar o medo de ser rejeitado, aumentar o prazer de viver e aumentar ou despertar o magnetismo pessoal e a sensualidade. Desenvolve a liberação de expressão.

Afetividade: é o desenvolvimento do amor e da amizade de forma indiscriminada. Saber elaborar e perder o medo das pessoas, aumentar a capacidade de dar, receber cooperar e pedir ajuda.

Transcendência: é a capacidade de sair de si mesmo e integrar unidades cada vez maiores. É o despertar o sentimento de gratidão à vida e valorização das pequenas coisas. Desenvolver a conexão com a totalidade, diminuir os medos e retraimentos e sentir-se parte do todo. Assim se liberar, sem medo de vivenciar níveis mais profundos e permitir uma sensação de integração com o universo e principalmente com a intuição.

 

 

Referências:

Apostila do Curso de Terapias Corporais e Biodinâmica – Professor Tarsizo de Oliveira. Catarsi:2005.

http://pt.wikipedia.org/wiki/Biodan%C3%A7a

http://www.brasilescola.com/artes/danca.htm

http://sitedepoesias.com/poesias/46608

 

 

Fernanda Bonemann é psicoterapeuta. Graduanda em Naturologia Aplicada. Para conhecê-la um pouco mais, acesse Profissionais.

 

 

Referência das imagens:

(Criança: http://www.gettyimages.pt/detail/foto/girl-wearing-hat-and-skirt-woman-taking-photo-in-fotografia-de-stock/200171125-002

Grupo: viverbiodanza.wordpress.com)


A Partida – Celebração da Vida!

 

Por Márcia Watanabe Hitaka

 

Escolhi um filme japonês chamado, A Partida, para começar o ano novo.

Sinopse: Um violoncelista desempregado arruma trabalho temporário em uma funerária.

 

O filme inicia com uma frase reflexiva do protagonista: “…os invernos não eram tão frios quando eu era pequeno”.

 

Daigo Kobayashi, possuía um prestigiado emprego como violoncelista em uma orquestra em Tokio. Ao ver-se desempregado, por não ter mais condições de pagar o aluguel, resolve voltar a morar na casa que sua mãe deixou-lhe como herança. Após retornar à sua terra natal, um anúncio de emprego num jornal, chama-lhe a atenção: Boa remuneração, não é necessário experiência e lidam com partidas. Durante a entrevista, choca-se ao perceber que será assistente de um agente funerário. Levanta-se já recusando a proposta, mas é demovido da idéia por seu futuro chefe, que coloca em suas mãos, um adiantamento do salário.

Ao chegar em casa, diz para a esposa que irá trabalhar com cerimônias, omitindo a sua real ocupação. Isso se deve a sua própria vergonha e preconceito, por considerar este, um emprego menor.

No desenrolar do filme, é mostrado o cerimonial de uma antiga tradição japonesa, através do Nokanshi, mestre em lavar, vestir e preparar o cadáver para a despedida.

Mais do que conhecer costumes, hábitos e os rituais japoneses, o filme traz uma reflexão sobre a Vida, através do convívio com a Morte.

A cada ritual fúnebre, Daigo Kobayashi, envolve-se, sentindo e demonstrando respeito, cuidado, reverência e valorização pelos ritos; presencia as despedidas, algumas com muita dor e lamento, outras com muita gratidão e amor…

Em cada Partida, o protagonista faz uma introspecção. Novos tons passam a colorir a sua vida, resgatando a sua própria história.

Particularmente, nunca vi um filme falar tanto sobre a Vida. Sejam nas cenas aonde vicejam flores e plantas, na observação dos animais e da natureza, na envolvente e sensibilíssima trilha sonora ou no prazer em degustar os alimentos.

Presenciamos a cada rito de passagem, um renascimento do personagem, crescendo, amadurecendo, sensibilizando-se e fortalecendo-se perante a vida.

 

 

Portanto, proponho à todos vocês, vamos celebrar e brindar o nosso presente, e este presente maravilhoso que é a Vida!!!

 

 

Título original: Okuribito

Lançamento: 2008 (Japão)

Direção: Yojiro Takita

Elenco: Masahiro Motoki, Tsutomu Yamazaki, Ryoko Hirosue, Kazuko Yoshizuki.

Duração: 130 minutos.

Gênero: Drama

Premiado com o Oscar de Melhor Filme Estrangeiro em 2009.

 

 

Márcia Watanabe Hitaka é naturóloga. Para conhecê-la um pouco mais, acesse Profissionais.

 

 

(Crédito da imagem: peregrinacultural.wordpress.com)